sexta-feira, 16 de julho de 2010

Prokon - Assembly-friendly product design made easy!


Anyone with even rudimentary knowledge of the process chain or product life cycle knows that 80% of the production costs of a product come in the development and design phase. That’s why it’s advisable, if not imperative, especially with products consisting of several parts or components such as airplanes, automobiles, household and garden appliances etc., to research the ease of assembly and, increasingly, disassembly beginning in the development phase. The ProKon method, developed by the MTM Association in XXX has become widely accepted here and is, along with FMEA, a part of the production system in many companies. As an introduction to proper use, MTM offers public and company-intern seminars, which are enjoying growing popularity.

The term ProKon stands for “production-friendly design” and encompasses all methods of design for improving production. The two-day course focuses on the assembly division. ProKon is easy to learn and is conducted in a hands-on fashion. The participants are asked to bring components from their companies to examine for ease of assembly in the first step of the ProKon course (current state) and then in the second step (target state) to calculate rationalization potential. Data is documented on the ProKon analysis sheet, which is available as an Excel table or in TiCon®. “Assembly difficulties” occurring in the assembly process are systematically recorded on the analysis sheet and evaluated with predetermined ProKon units. These are dimensionless units, similar to RPZ (Risk Priority Numbers) with FMEA, which, in total, facilitate a statement about the quality of the design regarding suitability for assembly.

ProKon, in essence, describes the assembly process without accounting for the environment and possible work design measures. From this perspective there are a number of approaches for changing design (see Picture 1):

• Simplify components
• Support through positioning assistance and room for assembly
• Simplify assembly equipment and reduce assembly joints
• Standardize and reduce components
• Standardize fastening devices and torque
• Integrate parts and functions.

Christian Leitl, ProKon instructor and project engineer with extensive experience with ProKon workshops says of the target group: “We’re not just appealing to designers and product developers but, in keeping with the inter-division teamwork in the workshops, to employees in IE, production planning , production and quality assurance as well. Ideally it would be further complemented with employees from purchasing and sales. While most of the participants striving for the title of MTM Engineer at the public seminars have come from scheduling, at the company-internal courses it looks like around two thirds come from development and design and the rest from scheduling and production.

“We want to sensitize the designer and dispense with any existing reservations,” Christian Leitl adds. “He’ll see this after the ProKon workshops, which will be conducted more frequently at work, while implementing these ideas in their main jobs. But when he notices that everyone’s on board and the assembly-friendly design is secured, I find these reservations disappear rather quickly. Organizing these inter-division teams for maximum efficiency requires that everyone receive training in ProKon first.”

In a ProKon seminar in November 2009 in Stuttgart, the participants were able to learn more about ProKon using the real example of a component for an innovative automatic detergent dispenser. After a brief theoretical part introducing the topic and a few application rules, the group used the ProKon data sheet for a current-state analysis of the “detergent dispenser” component. They broke it down into its individual parts and analyzed each part for assembly difficulties. In the second step they developed a target state, which integrated all ideas for simplifying assembly.

According to the learning material, ProKon inspections usually reduce assembly time by 20-30%, a value which was also achieved in the course. In order to reach an “approximate” ProKon time from the calculated ProKon units, which have no dimension, convert the ProKon units to real time values. This time, however, includes only the primary area in the immediate surroundings of the assembly location as described on the analysis sheet for the component. The secondary area, with parts staging, layout design and work station environment are not accounted for.

The seminar finished as a success after two days, though not before the participants conducted a quick run-through of a current-state analysis for the two instructional examples: “PC mouse” and “blow-dryer.” Finally, thanks to everyone’s active participation as well as the professional and personal expertise of the ProKon instructors, the seminar was both intensive and entertaining, leaving the participants with many new insights.

Source: MTMaktuell Nº. 2010/01

segunda-feira, 5 de julho de 2010

MTM WORKSHOPS 2011

Workshop: "Boas Prácticas de MTM"

Onde: Volkswagen Autoeuropa, Palmela
Quando: Quinta-Feira, 7 de Julho 2011

Workshop: "Workshop de Melhoria Contínua"

Onde: ATEC / Palmela
Quando: Quinta-Feira, 24 de Novembro 2011

MTM - Perfeição como Prioridade

MTM - um método perfeito para a optimização de sistemas de trabalho e um padrão mundial para a eficácia.

Em mais de 20 países industriais , as empresas de quase todos os sectores económicos utilizam Methods-Time Measurement (MTM) para a optimização dos seus processos de negócios. Assim, o MTM tornou-se mundialmente o sistema melhor sucedido para a gestão de tempo e a constituição de sistemas de trabalho.

O sistema MTM garante às empresas em todos os seus locais de produção uma linguagem comum de descrição de processos e elevados padrões na construção e montagem quer se trate de produção em grandes ou pequenas série, mais ou menos complexas ou, ainda no fabrico individual.

Por isso, o MTM é aplicável tanto a empresas industriais como a empresas de logística, bem como nas oficinas de reparação como em empresas de serviços ou do sector público ou administrativo.

Assim o MTM:

- poder ser utilizado para a optimização de todos os processos manuais de trabalh;

- obriga a pensar em grandezas de influência e evita custos;

- é aplicável em todos os ramos e sectores de negócios;

- é fácil de aprender;

- ajuda a fazer bem desde o início!


Produção dos Automoveis 1949 (VW) . . .

Produção dos Automoveis 1949 (VW) . . .
Em 1949 foram construidos quase 50.000 "VW-Fusca"

... e 60 anos mais tarde, 2009 na Volkswagen Dresden

... e 60 anos mais tarde, 2009 na Volkswagen Dresden

Automação na Indústria de Automóvel

Automação industrial é a aplicação de técnicas, softwares e/ou equipamentos específicos em uma determinada máquina ou processo industrial, com o objetivo de aumentar a sua eficiência, maximizar a produção com o menor consumo de energia e/ou matérias primas, menor emissão de resíduos de qualquer espécie, melhores condições de segurança, seja material, humana ou das informações referentes a esse processo, ou ainda, de reduzir o esforço ou a interferência humana sobre esse processo ou máquina. É um passo além da mecanização, onde operadores humanos são providos de maquinaria para auxiliá-los em seus trabalhos.

Para garantir um desempenho excepcional nos complexos proces­sos de produção integrada da indústria automóvel, são colocadas grandes exigências no planeamento da produção. Sem uma aborda­gem integrada, a redução das taxas de erro ao nível ppm seria prati­camente impossível.
O rigor na produção tal como implementado na metodologia “Poka-Yoke” apenas se consegue através de um processo de montagem absolutamente fiável através de muitos controlos individuais ao longo do processo, recorrendo a tecnologia de sensores de medição e de controlo, bem como a sistemas de visão.

MTM - Methods-Time Measurement

O conceito MTM desenvolveu-se a partir da década de 50, tornando-se, desde aí, o sistema de tempos pré-definidos com maior sucesso ao nível mundial. Especificamente, pelo envolvimento da Associação MTM Alemã. pode dizer-se que o MTM é hoje considerado um conceito integrado, e exemplar, para a gestão da produtividade de sistemas de trabalho.

Enquanto até aos anos 80 serviu praticamente só para definir os tempos teóricos de métodos e processos já definidos, hoje, o MTM é utilizado como a ferramenta mais eficaz na concepção de produtos e equipamentos, no planeamento de processos e métodos de trabalho.

No termo conceito integrado subsumem-se todos os aspectos relevantes (em contexto prático), referentes à produtividade de trabalho, que se encontram representados no sistema MTM, incluindo as considerações de natureza ergonómica.

Devido às suas vantagens, hoje o MTM é aplicado nas fases de melhoria e no controlo permanente dos sistemas de trabalho:

1. A aplicabilidade do sistema MTM na fase de concepção representa uma das grandes vantagens, porque pode simular com facilidade qualquer processo e sistema de trabalho, não tendo como condição prévia a existência de um sistema de trabalho real.

2. Todos os planeamentos relizados com o sistema MTM representam um rendimento standard internacionalmente reconhecido.

3. A aplicação do MTM obriga a definir o método de trabalho, representando, assim, uma ferramenta essencial para garantir a qualidade dos processos, a escolha dos métodos mais eficazes e a sua standardização.


Lean Manufacturing

Lean manufacturing é uma filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios (super-produção, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos). Eliminando esses desperdícios, a qualidade melhora e o tempo e custo de produção diminuem. As ferramentas "lean" incluem processos contínuos de análise (kaizen), produção "pull" (no sentido de kanban) e elementos/processos à prova de falhas (Poka-Yoke).

Um aspecto crucial é que a maioria dos custos são calculados na fase de projeto de um produto. Um engenheiro especificará materiais e processos conhecidos e custos às custas de outros processos baratos e eficientes. Isto reduz os riscos do projeto. As empresas que seguem essa metodologia desenvolvem e reencaminham folhas de verificação para validar o projeto do produto.

Os pontos-chave do lean manufacturing são:
Qualidade total imediata - ir em busca do "zero defeito", e detecção e solução dos problemas em sua origem.
Minimização do desperdício - eliminação de todas as atividades que não têm valor agregado e redes de segurança, otimização do uso dos recursos escassos (capital, pessoas e espaço).
Melhoria contínua - redução de custos, melhoria da qualidade, aumento da produtividade e compartilhamento da informação.
Processos "pull" - os produtos são retirados pelo cliente final, e não empurrados para o fim da cadeia de produção.
Flexibilidade - produzir rapidamente diferentes lotes de grande variedade de produtos, sem comprometer a eficiência devido a volumes menores de produção.
Construção e manutenção de uma relação a longo prazo com os fornecedores tomando acordos para compartilhar o risco, os custos e a informação.

Lean é basicamente tudo o que concerne à obteção dos materiais corretos no local correto, na quantidade correta, minimizando o desperdício, sendo flexível e estando aberto a mudanças.